Maternidade e Paternidade: existe equilíbrio na criação dos filhos?

capa-parentalidade_quadrada

Em agosto, tivemos uma conversa para as empresas que cuidam com Bloom sobre equilíbrio na criação dos filhos com o Dr. Daniel Becker, pediatra pioneiro na Pediatria Integral no Brasil, e Juliana de Faria, Chief Engagement Officer na Bloom.

O conteúdo foi muito rico e, por isso, preparamos esse guia-resumo abaixo com os principais pontos discutidos pelos nossos convidados.

COMO EQUILIBRAR OS PAPÉIS DE MÃE E PAI NA CRIAÇÃO DOS FILHOS?

  1. SENDO UM PAI PRESENTE 

Ser um pai presente é participar do dia a dia dos filhos. Somente exercendo a paternidade ativa, que é o envolvimento do pai com o cuidado físico e emocional dos filhos, não só o cuidado financeiro, é possível equilibrar a carga da criação com a mãe e construir intimidade e conexão com os filhos. 

“Quando a gente conhece uma criança, quando a gente tem intimidade com ela, um jeito de olhar, uma fala, uma expressão, uma palavra, pode já ser o suficiente para direcionar uma atitude, para corrigir uma coisa errada, para disciplinar com autoridade e serenidade de uma forma muito concisa porque você conhece quem está ali e aquela ‘pessoinha’ conhece você também. Existe uma troca não verbal, do olhar, do afeto, do respeito mútuo.” 

Dr. Daniel Becker

4 DIMENSÕES INFLUENCIADAS PELA PATERNIDADE ATIVA: 

TRANSFORMAÇÃO ATRAVÉS DA POTÊNCIA DO CUIDADO

Dr. Daniel ressalta que cuidar de alguém já é algo transformador em si, pois quando cuidamos de alguém, nos tornamos potentes porque nos sentimos alguém forte e presente. Então, o pai quando começa a se envolver e perde o medo de cuidar do bebê, ele se torna mais potente e é dessa potência que brota o amor mais profundo que existe. 

TRANSFORMAÇÃO PESSOAL

Através dessa potência adquirida e gostando de exercer o papel, o homem se torna mais cuidador. Não só cuidando dos seus filhos, mas também da esposa, dos amigos, e de quem mais estiver ao seu redor. Assim, começa a atuar quebrando os seus paradigmas do machismo estando muito mais aberto ao diálogo e tendo mais empatia. 

TRANSFORMAÇÃO DA SUA REDE DE CONTATOS

O homem, muito mais sensível, começa a influenciar positivamente também os seus amigos e outros homens da sua rede de contatos. Tem pais, inclusive, que disseminam a paternidade ativa nas redes sociais com o objetivo de acabar com a masculinidade tóxica. 

TRANSFORMAÇÃO SOCIAL

A partir dessa transformação causada no entorno, o homem passa a transformar a sociedade. 

Talvez a parternidade ativa seja a forma mais rápida e mais eficiente de quebrar esse machismo estrutural que é tão nocivo para a sociedade
  1. AFASTANDO A CULPA MATERNA

A mãe absorve todas as culpas nas mais diversas situações da criação dos filhos, seja na educação, na alimentação, na presença. Ela sempre acha que está fazendo tudo errado. É importante entendermos que a mãe está fazendo o melhor que ela pode e tentando ser a melhor mãe possível.

  1. DIVIDINDO A CARGA MENTAL 

A sociedade vive um cenário em que a mãe absorve todas as culpas e está completamente sobrecarregada, inclusive mentalmente. Então, além de trabalhar e de ser responsável por todos os cuidados com as crianças, ela também tem que se preocupar com todos os planejamentos e tarefas da casa. Essa sobrecarga é exaustiva e pode comprometer a saúde mental da mulher, por isso é importante dividir essa carga mental com o pai, desde o momento do planejamento de ter filho. 

  1. SENDO REDE DE APOIO

Sempre que possível, a rede de apoio dessa mãe deve estar presente e oferecer ajuda. Seja para que ela tenha tempo para um momento de autocuidado enquanto cuidam de seus filhos ou para que ela possa conversar e espairecer.

Momentos de individualidade são combustível para quem está o tempo todo cuidando do outro.”

Dr. Daniel Becker
  1. TENDO EMPRESAS QUE APOIAM MULHERES E FAMÍLIAS

As empresas têm um papel fundamental de cuidar das famílias. Oferecer recursos de saúde e bem-estar para que seus colaboradores exerçam a maternidade e a paternidade de maneira saudável dentro do que é possível no dia a dia tão corrido. 

Cerca de metade das mulheres sai do mercado de trabalho depois de 24 meses da volta da licença-maternidade. 68% dos pais não tiraram nem mesmo os 5 dias previstos por lei de licença-paternidade em 2019 (Instituto Promundo). Existe um desequilíbrio em como as mães e os pais conciliam a parentalidade e a carreira. Acolher essas pessoas é um grande passo que as empresas podem dar para mudar esse cenário.

Quem tem acesso a nossa plataforma de cuidado, conta com apoio integral, coordenado e sob demanda nas questões de saúde e bem-estar presentes na maternidade, paternidade, saúde dos filhos e, inclusive, no equilíbrio das demandas.

INDIQUE A BLOOM NA SUA EMPRESA e passe a ter um time de cuidado disponível via chat, teleatendimentos com especialistas, acesso a conteúdos gravados por alguns dos maiores especialistas do Brasil em saúde e bem-estar da mulher e também a eventos e rodas de conversa exclusivas.

[Material resumo do evento exclusivo “Maternidade e Paternidade: Existe equilíbrio na criação dos filhos?” realizado no dia 15/08 para os colaboradores das empresas que cuidam com Bloom.]

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
WhatsApp

Leia também

Posts Recentes

Categorias

Categorias

Arquivos